sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Desabafo

Existe uma regra geral nos relacionamentos interpessoais: quanto maior a confiança depositada, mais terrível é a traição.

Assim, por exemplo, se não comparecermos a um compromisso corriqueiro, como uma consulta médica, não causará grande decepção.

Trair o cônjuge parece ser mais sério.

Destacamos a corrupção (até então escusa, mas cada vez mais desmascarada), protagonizada por políticos, aos quais confiamos o nosso voto e que deveriam perquirir o interesse público, mas aproveitam a máquina estatal para se favorecerem pessoalmente. Tal traição parece ser digna de maior repreensão social, atualmente.

O que dizer, então, de mães que jogam seu próprio filho, recém nascido e totalmente indefeso, em uma lagoa e até em córregos, como se estivessem se desfazendo de um saco de lixo?

Esses relatos são reais, atuais e revoltantes. Porém, devido à frieza da nossa época e aos baixos padrões morais da sociedade brasileira, nós nos acostumamos com as notícias que, outrora, nos chocaram.

Pode parecer absurdo afirmar que nos acostumamos com essas traições, mas podemos lembrar, ilustrativamente, que, no início do século XX, ou seja, a pouco tempo atrás, o adultério tinha grande reprovação social e era punido como crime previsto no código penal brasileiro. Hoje, esse crime se revestiu de insignificância e de "adequação social" e ainda afirmamos que isso ocorreu porque "evoluímos" socialmente.

Apesar de lamentarmos uma notícia sobre atos políticos de corrupção e até nos revoltarmos, logo aproveitamos esses fatos para pensarmos que somos melhores do que esses corruptos porque não somos tão desonestos a ponto de realizarmos tais práticas. Ledo engano. Estamos enganando a nós mesmos quando nos julgamos superiores aos outros, sendo que se estivéssemos na mesma situação, certamente, teríamos as mesmas atitudes corruptas.

Há até quem justifique a atitude da mãe, que matou seu filho ao jogá-lo em um córrego, no fato de ser essa mãe vítima da sociedade, cada vez mais desigual e excludente.

Como somos podres, dominados por pensamos insanos!

A (grande) maioria dos brasileiros não consegue detectar a origem dos nossos problemas. Pensamos ser vítimas da falta de um sistema educacional forte ou da falta de distribuição de renda.

Podemos ter os melhores índices educacionais do mundo e reduzir bruscamente as desigualdades sociais que, apesar disse ser muito bom, mesmo assim teremos outros problemas ou problemas ainda maiores. Ocultamos a verdadeira causa dos nossos conflitos individuais e sociais. Não queremos assumir nossa natureza egoísta porque queremos, deliberadamente, estar no controle e no centro de nossa vida e sempre satisfazer nossas vontades.

É por isso que sofremos essa extensa crise de padrões morais. É por isso que temos uma juventude perdida e hedonista. É por isso que temos um presidente do Senado (que poderia ser qualquer um de nós) incapaz de reconhecer seus erros, porque quer defender seu mandato e seus interesses.

A traição quer sempre se manter oculta, porque considera mais importante a reputação do que a reconciliação.

Cada um de nós é culpado porque protagonizamos a maior traição da história. Traição que nos impõe terríveis conseqüências diariamente.

Trocamos o nosso relacionamento seguro, confiável e baseado no amor, que tínhamos com Deus para nos prostituirmos com ídolos passageiros. Trocamos a fonte de vida porque queremos satisfazer o nosso ego e colocá-lo no controle da nossa história. E ainda achamos bonito e evoluído sermos auto-suficientes e pensarmos que podemos ser independentes de Deus.

Se não reconhecermos nossos erros e nossa ignorância e implorarmos para que Deus dirija nossas vidas, já estamos fadados à destruição.

É possível nos reconciliarmos com Deus! Por mais absurdo, desnecessário e ultrapassado que isso lhe pareça.

Nós nos afastamos de Deus. Mas, através de Jesus Cristo podemos reconhecer onde erramos e nos aproximarmos de Deus. Essa é a grande notícia do evangelho! Jesus sofreu por nós tudo que estávamos sujeitos a sofrer por causa da nossa traição.

Não precisamos esconder nossos erros com discrição. Chega de se preocupar com nossa reputação. Chega de buscarmos nossos interesses egoístas.

Todos nós falhamos e pecamos! Só Jesus, e unicamente Ele, foge a essa regra.

Não é mais o simples pecado que impede de nos reconciliarmos com Deus, mas é o pecado ocultado e tolerado que nos destroem. Se pecado fosse uma característica exclusivamente sua, até justificaria querer escondê-lo. Mas é naturalmente inerente à condição humana. Aceite essa verdade.

Por mais "bonzinho" que você se considere ser, você está muito aquém dos padrões de Deus. Se reconhecermos isso, saberemos valorizar o grande favor de Deus, em Jesus. Deus quer nos dar seu Espírito, que nos purifica. Mas sem o Espírito Santo de Deus, já estamos entregues a toda sorte de impureza.

Se acreditarmos em Jesus e em sua única e revolucionária mensagem de reconciliação (por mais humilhante que seja para nós), não seremos culpados, mas perdoados! Não conhecemos essa lógica porque sabemos que se alguém erra, deve pagar por isso e seria injusto se não fosse assim. Mas esquecemos que Jesus pagou esse tão alto preço por nossos pecados (pecado é pecado – transgressão da vontade perfeita e soberana de Deus - e é assim que deve ser tratado). Por isso Jesus é a nossa justiça e o nosso perdão.

Não tenhamos vergonha de expor nossos pecados (frutos do nosso autogoverno). Vamos expô-lo publicamente para que o mundo saiba que, em Jesus, Deus existe, sempre nos amou, nos perdoa e seus padrões continuam imutáveis.

Provavelmente você já sabe isso tudo e não precisava ouvir novamente. Mas o óbvio deve ser dito e repetido, pra jamais ser esquecido. Obrigado por ouvir esse desabafo. Realmente é difícil ficar calado diante da minha situação pessoal e da situação do meu país.

É possível nos reconciliarmos com Deus através de Jesus Cristo. O grande problema é reconhecermos que precisamos fazer isso, urgentemente. Enquanto não assumirmos nossos pecados e a sujeira da nossa nação, pregar o evangelho da reconciliação será como lançar pérolas aos porcos.

"Ao Senhor, nosso Deus, pertence a misericórdia e o perdão, pois nos temos rebelado contra Ele." Dn 9:9

Um comentário:

Daniel Simoncelos disse...

Cara.. Lindo.. uma obra de arte..

Tão bem estruturado e ponderado. Vejo neste texto o grande cristão que vc é. E melhor, esse texto não é maravilhoso por ser tão bem elaborado e estruturado com belas palavras não, mas porque vejo palavras que geram vida eterna. Porque vejo Deus falando através de vc.

Isto, advogado nenhum consegue fazer. Apenas o verdadeiro servo, e isto, mais do que um grande advogado, vc é, um grande Servo de Deus. Agradeço a ele por ter me presenteado com sua amizade.

É bom ver que ainda existem profetas que são boca de Deus nessa geraçao expondo os erros da naçao, politicos e morais. Que Deus o abençoe ricamente, te dê ainda mais sabedoria e suas bençãos..

Fica com Deus amigo..